quarta-feira, 25 de junho de 2014

Urubu-da-cabeça-preta

Nome CientíficoCoragyps atratus
Família: Cathartidae
Comprimento: 62 cm
Plumagem: plumagem negra no adulto, e branca nos filhotes.
Alimentação:  Alimentação necrófaga, isto é, alimenta-se de carcaças de animais mortos e matéria em decomposição.
Reprodução: Essa espécie nidifica no solo, entre pedras, ocos de árvores, em lugares afastados. Macho e fêmea incubam os ovos até 40 dias. Eles nascem brancos, mas com 3 meses já estão semelhantes aos adultos, quando começam a voar.
 Ocorrência: Encontrado em todo o Brasil, principalmente em áreas com presença humana. Muito encontrado em lixões.
Urubus encontrados a beira de um açude em São Gotardo de Ana Rech

domingo, 8 de junho de 2014

Sabiá-laranjeira

Avistamento: Bairro Tijuca - Caxias do Sul - Pomar Baretta

Ave símbolo do Brasil, o sabiá-laranjeira foi imortalizado na canção de Gonçalves Dias “Canção do Exílio”. O canto do sabiá-laranjeira é muito apreciado, semelhante ao som da flauta. O macho canta para demarcar território e para atrair a fêmea. Essas aves se adaptam a ambientes urbanos se encontram facilmente alimento e água. Essa ave pode viver até 30 anos.





Nome Científico: Turdus rufiventris
Família: Turdidae
Comprimento: 24 cm
Plumagem: Possui peito alaranjado, asas e caudas são pardacentos.
Alimentação: Alimenta-se de frutas como o  caqui, abacate, laranja, mamão, coquinho além de artrópodes como insetos, larvas e minhocas.
Reprodução: Macho e fêmea constroem um ninho feito com gravetos e lama. A incubação, de 3 a 4 ovos, dura 13 dias, podendo  ocorrer até 3 vezes ao ano.

Ocorrência: Conhecido no sudeste e no sul, mas também é encontrado na região nordeste. Encontrado em áreas mais abertas e nas bordas das matas, principalmente em áreas com água.
video


Grimpeiro

O dia está frio, nublado e úmido, clima típico do outono, identificamos uma pequena ave numa araucária.
O pássaro grimpeiro, ou rabo-de-espinho-da-araucária, é associado a araucária, ou pinheiro-do-paraná. Na araucária ele passa sua vida. Espécie de pequeno porte, não é fácil ser vista. O pequeno pássaro tem um papel muito importante na preservação da araucária, pois andando de uma árvore a outra ele espalha pólen da flor masculina para a flor feminina da araucária, que produz a pinha.

Nome Científico: Leptasthenura setaria
Família: Furnariidae
Comprimento: 17 cm
Plumagem: Possui um topete na cabeça, rajado de preto e cinza. Seu peito é cinzento, penas e cauda são ferrugens com pontas escuras. Sua cauda é longa e pontuda.
Alimentação: alimenta-se de artrópodes,  insetos e outros bichinhos encontrados nos galhos e araucária.  
Reprodução: Seu ninho é feito nos galhos secos da araucária, por serem espinhentos, protegem o ninho de predadores.

Ocorrência: encontrado nas araucárias de regiões serranas da região sul e sudeste, lugares de clima frio e úmido.

O pequeno pássaro tem facilidade de se locomove pelos espinhos


araucária ou pinheiro-do-paraná


 Seu nome vem da grimpa (ou grinfa), espinhenta da araucária
 O grimpeiro nasce e vive nas grimpas, de onde retira seu alimento
Pequeno e com cauda longa, a primeira vista pode-se pensar que é um tico-tico, mas olhando mais de perto percebe-se que é de outra espécie

sábado, 7 de junho de 2014

Gralha Azul

Os tucanos invadem a mata, consigo ver três deles, mas os pássaros ao redor ficam no maior alvoroço, sigo por um atalho para chegar mais perto, mas ao chegar as gralhas já expulsaram os tucanos e ficam na borda da mata voando de um lado para outro.
A gralha azul aparece aos pares por essa região. Mas eventualmente aparecem em bando. Essas aves  apesar de não viverem somente em pinhais, são disseminadoras da  araucária quando estocam o pinhão, enterrando-o, o que ocasiona a sua brotação.

Nome CientíficoCyanocorax caeruleus
FamíliaCorvidae
Comprimento:  40 cm
Plumagem: Plumagem azul, cauda longa e asas largas. Pescoço e peito são pretos.
Alimentação: Comem sementes e frutas, mas também comem ovos de outras aves e pequenos animais.
Reprodução: De outubro a março as gralha constroem ninhos no topo das araucárias, no ninho são postos em média 4 ovos.

 Ocorrência: Encontrada principalmente na região sudeste e sul.
 




sexta-feira, 6 de junho de 2014

Gavião-Carijó

O Gavião-carijó é uma ave de rapina  muito comum no Rio Grande do Sul. Conhecido como pega-pinto.  Aqui nessa região é facilmente encontrado na beira de estrada, pousado em galhos altos de árvores ou fios elétricos.
Este gavião foi fotografado na beira de uma estrada do interior de Ana Rech, num dia nublado e frio às 14 horas do dia 06 de junho de 2014.

Nome CientíficoRupornis magnirostris
Família: Accipitridae
Comprimento: de 30 a 40 cm
Plumagem: Possui cabeça e pescoço marrom, listras verticais no peito e horizontais no ventre. O olho é  amarelo com iris preta central. Bico amarelado com a ponta preta.
Alimentação: roedores e pequenas aves
Alimentação: Alimenta-se de tudo, invade ninhos de outras aves, insetos, pequenos animais, répteis etc..
Reprodução: O ninho é construído no alto de árvores pelo casal. Dois ovos são incubados pela fêmea por um mês, neste tempo o macho a alimenta.
 Ocorrência: Espécie comum em todo o Brasil, com mais incidência na região sul e sudeste. Adapta-se bem em ambientes urbanos.

domingo, 1 de junho de 2014

Choca-da-mata

Choca-da-mata




Nome Científico: Thamnophilus caerulescens
Família: Thamnophilidae
Comprimento: 15 cm
Plumagem: Possuem pintas claras nas asas, porém o macho é mais cinzento, a fêmea é mais parda.
Alimentação: insetos capturados nas árvores e frutos.
Reprodução: O casal constrói um ninho com gravetos sobre árvores ou lianas (cipós) em forma de  tigela, geralmente nascem dois filhotes, que são alimentados pelos pais.

 Ocorrência: Encontrado nas matas mais densas, saltitando entre os ramos, encontrado principalmente na região sudeste.