terça-feira, 19 de outubro de 2021

Beija-flor-de-fronte-violeta

Thalurania glaucopis
Esse pequeno beija-flor-de-fronte-violeta, de 11 centímetro pertence a família Trochilidae. O verde brilhante de sua plumagem é uniforme no macho, que possui o fronte violeta. A fêmea apresenta o ventre claro. Eles adoram as flores coloridas, frequentam muito a lanterninha chinesa florida, furando a base da flor para sugar o néctar com mais facilidade!




domingo, 9 de agosto de 2020

Anu-branco

 Dia 11 de junho, um bando de barulhentos anus pousam nas árvores próximas. A impressão é que estão sempre descabelados!






Picapauzinho-verde-carijó

(Veniliornis spilogaster)

Pica-pau carijó esverdeado, quando encontram um tronco podre ficam muito tempo explorando, tamborilando com o bico até encontrar larvas. Fotos 15 de maio 2020.



Saíra-viúva

 Nome Científico: Pipraeidea melanonota ( Vieillot, 1819)

Essa saíra-viuva, com as cores características se formando provavelmente é um juvenil. Alimentando-se de insetos na mata. Dia 15 de maio de 2020.



Quete-do-sul

 Quete-do-sul

(Microspingus cabanisi)

Foto de 14 de maio.


Trepador-quiete

 Trepador-quiete (Syndactyla rufosuperciliata)

Família: Furnariidae
 
Essa pequena ave é muito irriquieta, com grande mobilidade o que torna difícil fotografá-la.  Dia 29 de abril de 2020.







Choca-da-mata

 Nome Científico: Thamnophilus caerulescens

Família: Thamnophilidae
Essa espécie é muito arisca, difícil ser avistada, além de que se camufla muito bem entre as folhas. Há  dimorfismo sexual. Fotos manhã do dia 28 de abril no exótico ligustro.



Sanhaço-frade

 Nome: Sanhaço-frade

Nome Científico: Stephanophorus diadematus (Temminck, 1823)            
Família: Thraupidae

Casal de sanhaço-frade na manhã do dia 28 de abril de 2020. 




segunda-feira, 18 de maio de 2020

Coleirinho

Coleirinho (Sporophila caerulescens)

O coleirinho ou papa-capim,  é um pássaro canoro que pode viver até uma década. Seu canto é muito apreciado e por isso essa espécie sofre com a caça indiscriminada.

 Fêmea



Ave de uns 12 cm de comprimento. O macho possui uma coleira branca unida aos "bigodes" brancos que caracterizam o seu nome. Seu bico forte é amarelado. As fêmeas são pardas e não são canoras. Alimenta-se de sementes de gramíneas. Frequenta  plantações de arroz e também comedouros de aves.

Quando não estão nidificando, vivem em grupos, mas no período da reprodução afastam-se dos grupos para protegerem a ninhada.  O ninho é construído pelo macho  com fibras vegetais, raízes e gramíneas. As fêmeas podem chocar até 4 vezes ao ano. Normalmente chocando 2 ovos por vez.



terça-feira, 17 de setembro de 2019

Alma-de-gato

Alma-de-gato
Nome científico:  Piaya cayana 
Família: Cuculidae

Primavera espocando e diferentes piados ouvimos pela mata. Próximo ao meio dia um piado se destaca, forte. Com um olhar atento observo o dorso de uma ave de cor ferrugem movimentando-se sorrateiramente pelos ramos das árvores. Alma-de-gato é o seu nome, mas o pessoal por aqui a chama também de rabo-de-palha. 
Essa aves são solitárias e se destacam pela sua cauda longa, olhando-as de frente a beleza é incrível, pois a cauda aberta mais parece um leque invertido com as penas pretas e pontas brancas!  Uma vizinha avistou uma certa vez e a descreveu como  uma ave do paraíso de tão magnífica! As fotos são do dia 14 de setembro de 2019. 










quarta-feira, 3 de abril de 2019

Borboleta pavão-escarlete

Borboleta pavão-escarlete ( Anartia amathea) Família: Nymphalidae Essa borboleta é muito linda e chamativa, principalmente o macho, devido ao vermelho mais forte. A fêmea tem tons mais claros. É encontrada facilmente na beira das matas. Hospeda seus ovos nas árvores, arbustos e lianas das plantas ornamentais da família botânica das Acanthaceae.

sábado, 5 de janeiro de 2019

Mãe da Lua

 Urutau
 Mãe-da-Lua
Nome Científico:  Nyctibius griseus
Família Nyctibiidae


Há muito tempo ouvi falar dessa ave noturna com fama de fantasmagórica, porém nunca a tinha ouvido ou a visto.
No dia 29 de dezembro de 2018, antes das 6 horas da manhã um canto lamentoso se fez ouvir na mata,  nos acordando na madrugada ainda escura e ficamos atentos. Lembrei de um amigo nosso que presenciou essa ave nidificando numa árvore próxima a sua casa, na época nos mandou fotos, pesquisamos seu canto no youtube  e achamos sua vocalização muito especial, a semelhança de som de flauta. Agora estávamos presenciando também um momento mágico, de estar próximo de uma ave pré-histórica. Abri a janela e ainda ouvi o canto triste no escuro da mata, fiquei algum tempo olhando e observei a silhueta de uma ave grande levantando voo, era o urutau indo embora.

 Lápis aquarela a partir da foto de José Branco, Capão Alto- SC
 
Procurando informações sobre ele, descobrimos que é da época do período quaternário da era Cenozoica, chamado Pleistoceno,  compreendida entre 2.588 milhões e 11,7 mil anos atrás. Há muitas lendas envolvendo esse pássaro. Dizem que canta para a lua, observando a lua no dia 29 de dezembro antes da 6 da manhã, estava saindo da lua cheia e entrando na minguante.
  Segundo Wiki aves essa ave mede entre 33 a 38 cm. Possui fendas na pálpebra superior que permite que observe os arredores mesmo de olhos fechados. A íris é amarela muito chamativa. Alimenta-se de insetos, principalmente mariposas à noite. Possui uma boca grande que lembra a boca de um sapo, realmente é muito esquisito e diferente das aves conhecidas.
É impressionante como essa ave se camufla e nidifica, apenas um ovo é posto numa cavidade improvisada em troncos de árvores que muito se assemelham ao seu corpo, que fica imóvel sobre o tronco, tornando-se assim invisível aos olhos comuns. O ovo é incubado por cerca de 33 dias e o filhote  necessita de 7 semanas de dependência da mãe.

É encontrado em todo o Brasil nas bordas da mata.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Spinus magellanicus

Pintassilgo Spinus magellanicus 
Família Fringillidae.

Essa ave é mais encontrada em lugares abertos, próximo às moradias com área verde.  Os machos são amarelos com cabeça preta, peito amarelo e asas pretas com manchas amarelas, aves facilmente identificável.
Pode ser visto em bandos quando não é época de reprodução, pois nesse período andam em casais. Seu canto é bastante variado, com gorjear fino porém pode imitar o canto de outras aves. Mede 11 centímetros de comprimento.
 As fêmeas tem a cabeça e lado inferior oliváceos.